Criança por pouco é seqüestrada por homem na Avenida Paulista

Teve uma hora que meu marido parou para ouvir uma banda e eu fiquei a uns cinco metros dele, na calçada, com L. e o cachorro

Reprodução/Vídeo
Criança por pouco é seqüestrada por homem na Avenida Paulista
Homem arrastando criança

Juliana Nunes estava com o esposo, Matheus, e com o filho, a quem ela se refere como L. - passeando pela Avenida Paulista no último domingo, (23), quando um homem pegou o menino pelo braço e tentou levá-lo. Segundos depois, os pais perceberam a movimentação e correram para resgatar o garoto, que, em um vídeo publicado na internet, aparece com uma camiseta azul.

"Teve uma hora que meu marido parou para ouvir uma banda e eu fiquei a uns cinco metros dele, na calçada, com L. e o cachorro. Ele queria ir na banca comprar gibi, que era ali do lado. Falei: 'Vai lá e avisa seu pai que a gente está na banca.' Juro, era uma distância de, no máximo, cinco metros entre nós e Matheus, e L. Sabia onde o pai estava, não ia se perder e nem cruzar uma multidão", relatou a mãe em sua página no Facebook. "Fiquei na calçada com o cachorro e ele foi. Em menos de, sei lá, cinco segundos, não sei, um cara catou o L. pelo braço e o estava levando embora".

Leia mais

O pai, que filmava a banda, viu o que aconteceu pelo celular e a mãe percebeu enquanto acompanhava o movimento do filho pela calçada. Segundo o texto de Juliana, o menino não conseguiu ter nenhuma reação e ficou bastante assustado. "Já me perguntei por que deixei ele ir sozinho avisar o pai. Mas era uma distância mínima, eu estava olhando, L. sabia onde estava o pai. Se eu não puder soltar meu filho e deixá-lo dar dez passos em direção ao pai numa avenida toda policiada, realmente, não sei o que estou fazendo aqui nesse mundo", lamentou. 

O vídeo foi encaminhado para a polícia. Antes de divulgar o relato a família refletiu bastante sobre o caso e achou importante para que sirva como um alerta para outros pais. Em outra postagem, a mãe conta que recebeu mensagens de pessoas dizendo que já viram o mesmo homem repetindo a atitude, além de outras violências. 

"Recebi também uma mensagem dizendo que ele é paciente psiquiátrico. E, por mais estranho que isso possa parecer, tive pena", declarou, em meio a agradecimentos pelas palavras de carinho e apoio que foram endereçadas à família. "Foram tantos relatos e nenhuma denúncia. Nós denunciamos, fizemos nossa parte. O que vai acontecer a partir de agora com este homem, não é mais problema nosso. O máximo que posso fazer é rezar para que ele recupere alguma paz e sanidade que existe dentro dele", finalizou.

 

 

Comentários