Com voto vencido, Juscelino Cabral é contra a cobrança de multas à população douradense

Foto: Divulgação
Com voto vencido, Juscelino Cabral é contra  a cobrança de multas à população douradense
Vereador Juscelino Cabral durante pronunciamento na Câmara de Dourados

Durante a sessão ordinária de segunda-feira (19) da Câmara Municipal de Dourados, o vereador Juscelino Cabral (DEM), utilizou a tribuna para expor sua opinião contrária ao projeto de Lei Complementar nº 008/2021, que "dispõe sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras e penalidades impostas pelo descumprimento de medidas sanitárias durante a vigência do Decreto Municipal nº 2744/2021 e seguintes".

Juscelino se posicionou de forma contrária ao projeto de lei, considerando o momento crítico pelo qual a população douradense está passando. O vereador destacou que no que se refere à economia, "lojas foram fechadas, pessoas ficaram desempregadas, a renda diminuiu bastante, e a vida se tornou ainda mais difícil".

Em seu pronunciamento, o democrata informou que a Constituição Federal em seu artigo 5º, assegura ao cidadão brasileiro, a liberdade de ir e vir, o que também está comprometido com o período de pandemia. "Não se pode penalizar o cidadão douradense por erros de gestão", enfatiza o vereador.

Conforme Juscelino Cabral, o uso da máscara de maneira prolongada e contínua contra a Covid-19, tem se demonstrado controverso entre os especialistas, ocasionando até um efeito contrário à saúde, mesmo durante a prática de esportes, podendo acarretar doenças como a hipoxemia grave, que é a baixa concentração de oxigênio no sangue. Em casos extremos, o problema pode ocasionar arritmia grave, isquemia miocárdica, dentre outros comprometimentos cardiopatológicos, conforme pesquisa da Divisão de Cardiologia, desenvolvida pela universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Consternado com a situação, Juscelino considera o projeto de lei apreciado na Câmara de Dourados mais uma punição a população já fragilizada em função da pandemia. "O valor a ser cobrado pelo descumprimento das medidas é de R$194,00, justamente no momento em que a economia está estagnada. Com certeza, essa medida irá ser um desfalque no orçamento daqueles para as quais as multas forem aplicadas. O fardo sobre as costas da população já é muito pesado", finalizou o vereador.

 

 

Comentários