Marçal cobra explicação sobre verba para cultura em Dourados

Marçal diz que recurso do FIP precisa ampliar para atender a uma gama maior de artistas
Marçal cobra explicação sobre verba para cultura em Dourados
Thiago Morais

Cancelado há quatro meses, continua incerto o recurso para projetos culturais do Fundo de Investimentos à Produção Artística e Cultural de Dourados (FIP). A prefeitura ainda não se manifestou se retomará o programa. "Quem perde não são apenas os artistas locais, mas toda a população que deixa de ter acesso à cultura", diz o vereador Marçal Filho.
 
Os artistas tinham assegurados R$ 391.200 do FIP e que foram cancelados sob a justificativa de falta de recursos financeiros e orçamentários. De lá para cá a prefeitura não falou sobre o assunto.  Presidente da Comissão de Cultura na Câmara Municipal, Marçal tem cobrado uma posição da administração municipal.
 
"Precisamos de um posicionamento sobre como a prefeitura irá proceder a partir de agora e esperamos que as decisões sejam tomadas em conjunto com a classe artística", avalia o parlamentar. 
 
Quando foi lançado o edital do FIP no final do ano passado, dezenas de artistas elaboraram projetos para concorrer aos R$ 391.200 de recursos, divididos por valores que beneficiavam seis projetos com R$ 25 mil, três no valor de R$ 20 mil, sete de R$ 15 mil, outros sete com R$ 10 mil e um projeto de R$ 6.200. 
 
A cantora Fernanda Ebling pretendia gravar um CD neste ano. Ela foi uma das artistas aprovadas no projeto e ficou decepcionada com o cancelamento inesperado e de última hora. A escritora e advogada Odila Lange, do Fórum Permanente de Cultura, chegou a ocupar a tribuna da Câmara, na época, para criticar a desvalorização da cultura no município.
 
Os artistas aprovaram uma moção de repúdio contra a prefeita Délia Razuk. O vereador Marçal afirma que continuará cobrando a prefeitura um posicionamento e uma resposta sobre o FIP. O parlamentar entende que uma sociedade com mais acesso à cultura e à educação é mais instruída, desenvolvida, consequentemente, ocorrem menos problemas sociais.
 
Ainda de acordo com o vereador, os recursos disponibilizados pela prefeitura ao FIP é pouco para ser aplicado durante um ano inteiro, devendo ser ampliado para atender a uma gama maior de artistas, nas áreas de artes cênicas, artes plásticas, audiovisual, artesanato, folclore, literatura, dança, música.

Comentários