Instituições se unem para fortalecer "Maio Laranja"

Quando necessários, os casos são encaminhados para a Polícia Civil e outros para Polícia Federal (como casos em que há pedofilia), sendo todos os processos sigilosos.

Assecom
Instituições se unem para fortalecer "Maio Laranja"
Nova etapa da programação do 'Maio Laranja' foi debatida em reunião, nesta terça, na prefeitura

Na manhã desta terça-feira (15), a Prefeitura de Dourados, por meio da Semas (Secretaria de Assistência Social), reuniu várias instituições para debater a continuidade da programação do "Maio Laranja", mês que marca o enfrentamento ao abuso e violência sexual contra crianças e adolescentes.

O secretário de Assistência Social Landmark Ferreira Rios, juntamente a representantes do Conselho Tutelar Leste, Conselho Tutelar Central, Comcex (Comitê Municipal de Enfrentamento da Violência e de Defesa dos Direitos Sexuais de Crianças e Adolescentes), direção de Proteção Básica, CMDCA (Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente), direção da Proteção Especial e da Rede Cegonha estruturaram atividades desta segunda quinzena do mês em Cras (Centro de Referência da Assistência Social), escolas, hospitais e abordagem do tema nos veículos de comunicação locais.

Trabalhar a conscientização sobre tipos de violência e divulgar as ferramentas de denúncia são os principais 'nortes' da Secretaria, que atua nesse sentido durante todo o ano com os serviços da rede, portanto, fortalece as tratativas deste tema no período que marca a luta. 

"Violência sexual, física, psicológica, trabalho infanto-juvenil precisam ser combatidos e nossa gestão leva esse enfrentamento para a sociedade; vamos trabalhar com os menores, com uma linguagem apropriada do tema", diz Landmark, destacando que "todo o trabalho da secretaria no objetivo do fortalecimento da família é constante".

Quando identificada a violência, a principal ferramenta é o Disque 100. "Basta ligar, fazer a denúncia, que é anônima, gratuita, e o Conselho Tutelar realizará as próximas ações precisas para a proteção do menor", pontua o secretário. 

Landmark explica que o Disque 100 recebe as denúncias e encaminha a demanda por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social. Todo o processo é cuidadosamente acompanhado pelos profissionais e pelo Creas (Centro de Referência Especializado em Assistência Social).

Quando necessários, os casos são encaminhados para a Polícia Civil e outros para Polícia Federal (como casos em que há pedofilia), sendo todos os processos sigilosos.

Nesta quarta-feira (16) haverá ação no Cras da aldeia Bororó. Na quinta-feira (17), o evento é no Cras do Parque do Lago II e o tema será abordado pela coordenadora do Creas, Laiza Piva Mazaro, na Rádio Coração, às 16h. Em breve outras ações serão divulgadas pela Semas.

Um dos direcionamentos da administração municipal é difundir que existe todo um sistema de proteção e recuperação social e psicológica disponível às vítimas e familiares e junto a sociedade, para fortalecer o combate a tais situações. 

Comentários