Filme ‘A Vida Invisível’ é representante do Oscar 2020

Foi indicado para o Oscar 2020, o filme brasileiro ‘A Vida Invisível de Eurídice Gusmão’

Foto: cinema 1809
Filme ‘A Vida Invisível’ é representante do Oscar 2020
‘A Vida Invisível de Eurídice Gusmão’ disputou com outros 11 filmes

Foi indicado para o Oscar 2020, o filme brasileiro ‘A Vida Invisível de Eurídice Gusmão’, que é dirigido por Karim Aïnouz. O longa-metragem é candidato ao Prêmio Internacional da 92ª Premiação Anual promovida pela Academy of Motion Picture Arts and Sciences.

A indicação foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (18), e conforme reportagem da Agência Brasil, a seleção do longa foi feita por especialistas indicados pela Academia Brasileira de Cinema: Amir Labaki, Anna Luiza Machado da Silva Muylaert (Anna Muylaert), David Ribeiro Schurmann (David Schurmann), Ilda Maria Santiago Ribeiro (Ilda Santiago), Mikael Faleiros de Albuquerque (Mikael de Albuquerque), Jussara Nunes da Silveira (Sara Silveira), Vania Beatriz Lima Catani (Vania Catani), Walter Carvalho e Silva (Walter Carvalho) e José Viana de Oliveira Paula (Zelito Viana).

‘A Vida Invisível de Eurídice Gusmão’ disputou com outros 11 filmes.

A Voz do Silêncio, de André Ristum; A Última Abolição, de Alice Gomes; Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles; Bio, de Carlos Gerbase; Chorar de Rir, de Toniko Melo; Espero tua (Re)volta, de Eliza Capai; Humberto Mauro, de André Di Mauro; Legalidade, de Zeca Brito; Los Silencios, de Beatriz Seigner; Simonal, de Leonardo Domingues; e Sócrates, de Alex Moratto.

O filme

A Vida Invisível de Eurídice Gusmão’ é ambientada na cidade do Rio de Janeiro, então capital do Brasil, nos anos 1940 e 1950, e conta a história de duas mulheres: as irmãs Eurídice, interpretado pela atriz Carol Duarte, e Guida, personagem vivido por Julia Stockler.

Com sonhos diferentes para suas vidas, enfrentam todo tipo de dificuldades impostas às mulheres naquela época. O longa-metragem é baseado no romance do mesmo nome, da escritora pernambucana Martha Batalha.

 

Comentários