Crise: Empresários preferem pagar hora extra a contratar novos funcionários

Muitas empresas que demitiram, neste momento, têm que aumentar a produtividade para se manter no mercado.

Reprodução
Crise: Empresários preferem pagar hora extra a contratar novos funcionários

Em plena crise, quem está empregado diz que está fazendo muita hora extra. Uma pesquisa mostra que a maioria dos funcionários está trabalhando até cinco horas a mais por semana.

Não está fácil pra ninguém.

Muitas empresas que demitiram, neste momento, têm que aumentar a produtividade para se manter no mercado. Então sobrou para quem ficou no emprego - tem que fazer o seu e parte do trabalho de quem foi demitido também.

Continuar na empresa, depois que todo mundo já foi embora, é uma situação que boa parte dos brasileiros conhece bem. Pelo menos é isso que diz uma pesquisa, feita por um site de empregos: 60% dos trabalhadores entrevistados responderam que fazem, sim, hora extra. A maioria trabalha de duas a cinco horas a mais por semana, mas tem gente que passa disso.

Dos que fazem horas extras, 13% disseram que fazem mais de dez por semana. 20% fazem de seis a dez, 53%, de duas a cinco horas extras por semana. E 14%, menos de duas.

Os brasileiros trabalham muito, mas a produtividade das empresas é baixa.
“A produtividade das pessoas acaba caindo, quando elas trabalham longas horas seguidas.

A pesquisa ouviu 23 mil pessoas.

Comentários