Linhaça vale a pena acrescentar na alimentação?

Os componentes da linhaça ajudam a aliviar os sintomas da tensão pré-menstrual e atua na prevenção do câncer de mama

Os componentes da linhaça ajudam a aliviar os sintomas da tensão pré-menstrual e atua na prevenção do câncer de mama. O produto tem ainda uma substância chamada lignana, que funciona como substituto do estrógeno, hormônio que tem a produção reduzida na menopausa e, por isso, é boa opção para mulheres que estão sofrendo com as reações do período.

Uma semente que pode estar presente desde o café da manhã até o jantar, passando pelo lanche da tarde, e que confere sabor de diferentes formas a diversas receitas. Não é de se estranhar que a linhaça tenha ganhado espaço nos mercados e, cada vez mais, na mesa dos brasileiros. Rica em fibras, ela pode ser usada como complemento funcional em vitaminas, como farinha em bolos ou como óleo para temperar saladas. Com toda sua versatilidade, motivos não faltam para incluir a semente, seja dourada ou marrom, e todos os benefícios da linhaça na sua rotina alimentar e ter mais saúde.

Quanto se deve consumir diariamente de linhaça?

Para sentir os benefícios da linhaça, é importante que seu consumo seja regular e que ela esteja presente na rotina alimentar diária. No entanto, é preciso moderação. Por ser rica em fibras, o consumo excessivo da semente pode causar problemas como constipação. Segundo os nutricionistas, o consumo diário da linhaça não deve passar de 10 gramas, o equivalente a uma colher de sopa, que soma aproximadamente 70 calorias.

A linhaça controla o diabetes?

Boa notícia: o alimento é opção natural para controlar e prevenir a diabetes. Por ser fonte de magnésio, a linhaça controla a glicemia e faz com que a insulina seja liberada aos poucos no organismo. Isso evita os picos de glicose.

 

Comentários