Agehab vai aos bairros e promove regularização de loteamentos sociais

Mais de 100 escrituras de loteamentos sociais foram entregues na noite desta sexta-feira, 22

A Agehab (Agência municipal de Habitação e Interesse Social) promoveu, na noite desta sexta-feira (22), a entrega de 119 escrituras definitivas para moradores de loteamentos sociais implantados nos bairros Vila Cachoeirinha, Ypê Roxo, Brasil 500 e Canaã VI. A ação faz parte da política de levar justiça social e cidadania aos moradores dessas áreas, como definiu o advogado Carlos Augusto de Melo Pimentel, diretor-presidente da Agehab.

De acordo com Pimentel, além dessas 119 unidades já devidamente registradas, outras 33 estão em processo de conclusão da documentação. "Com essa atualização, vamos passar de 670 imóveis regularizados em Dourados desde 2017, além de 166 em processo de finalização", disse o diretor da Agência de Habitação.

Conforme o levantamento da Agehab, entre os novos proprietários definitivos de imóveis foram contempladas, no ato realizado no Cras (Centro de Referência e Assistência Social) da Vila Cachoeirinha, 47 famílias moradoras do bairro, mais 48 do Ypê Roxo, 20 do antigo loteamento Brasil 500 e mais outras do Canaã VI. Pimentel disse que conjuntos habitacionais já tradicionais na cidade ainda enfrentam problemas com a falta de documentação.

Por isso, segundo ele, a Prefeitura resolveu promover uma agenda de visitação aos próprios locais, levando a ação social de entrega dos novos documentos de posse definitiva e aproveitando para aferir mais de perto as demandas da comunidade. "Levamos a prefeita Délia Razuk, a equipe da administração e vereadores para essa interatividade com a população, ao mesmo tempo em que entregamos serviços realizados", disse Pimentel.

O secretário de Governo, Celso Schuch dos Santos, representou a prefeita Délia Razuk na cerimônia de entrega das escrituras.

NOVOS PROJETOS

A Agência de Habitação do Município está priorizando também a reserva de áreas próprias para implantação de novos projetos, dentro do programa Lote Humanizado, visando atender as famílias que ainda não possuem um imóvel com parcerias pelo sistema compartilhado de construção. A Prefeitura vai fornecer o lote e o apoio técnico de profissionais qualificados e os assentados também vão participar com a contrapartida em forma de mão-de-obra supervisionada.

A primeira experiência nesse sentido deverá ocorrer, nos próximos dias, na região das sitiocas Campina Verde, com um grupo de aproximadamente 50 famílias do assentamento Ouro Fino. "A prefeita Délia Razuk tem afirmado que essas famílias precisam de uma forma de segurança social e a garantia do Poder Público para que possam se estabelecer definitivamente com a casa própria, é isso o que procuramos fazer nesse projeto", afirmou Carlos Augusto Pimentel.

 

Fotos – Assecom/ Marcos Pierry

 

 

Comentários